Terça-feira, 6 de Fevereiro de 2007

Sonho

De suspirar em vão já fatigado,
Dando trégua a meus males eu dormia;
Eis que junto de mim sonhei que via
Da Morte o gesto lívido e mirrado:

Curva fouce no punho descarnado
Sustentava a cruel, e me dizia:
<<Eu venho terminar tua agonia;
Morre, não penes mais, ó desgraçado!>>

Quis ferir-me, e de Amor foi atalhada,
Que armado de cruentos passadores
Aparece, e lhe diz com voz irada:

<<Emprega noutro objecto teus rigores;
Que esta vida infeliz está guardada
Para vítima só de meus furores.>>

                        Bocage

             (Tiago Vieira nº20)
publicado por 10csb às 13:58
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

.posts recentes

. Ser Poeta

. A AIA

. O SUAVE MILAGRE

. Amor de Perdição

. PEREGRINAÇÃO

. Sonho

. Invocação à Noite

. Olhando o mar, sonho sem ...

. Mar Português

. O Fogo que na branda cera...

.arquivos

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds