Terça-feira, 6 de Fevereiro de 2007

Invocação à Noite

Ó deusa, que proteges dos amantes
O destro furto, o crime deleitoso,
Abafa com teu manto pavoroso
Os importantes astros vigilantes:

Quero adoçar meus lábios anelantes
No seio de Ritália melindroso;
Estorva que os maus olhos do invejoso
Turbem d'amor os sôfregos instantes:

Tétis formosa, tal encanto inspire
Ao namorado Sol teu níveo rosto,
Que nunca de teus braços se retire!

Tarda ao menos o carro à Noite oposto,
Até que eu desfaleça, até que expire
Nas ternas ânsias, no inefável gosto.

                            Bocage

                   (Tiago Vieira nº20)
publicado por 10csb às 13:56
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

.posts recentes

. Ser Poeta

. A AIA

. O SUAVE MILAGRE

. Amor de Perdição

. PEREGRINAÇÃO

. Sonho

. Invocação à Noite

. Olhando o mar, sonho sem ...

. Mar Português

. O Fogo que na branda cera...

.arquivos

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds