Segunda-feira, 5 de Fevereiro de 2007

O Fogo que na branda cera ardia

O fogo que na branda cera ardia

O fogo que na branda cera ardia,
Vendo o rosto gentil que na alma vejo.
Se acendeu de outro fogo do desejo,
Por alcançar a luz que vence o dia.

Como de dois ardores se incendia,
Da grande impaciência fez despejo,
E, remetendo com furor sobejo,
Vos foi beijar na parte onde se via.

Ditosa aquela flama, que se atreve
Apagar seus ardores e tormentos
Na vista do que o mundo tremer deve!

Namoram-se, Senhora, os Elementos
De vós, e queima o fogo aquela nave
Que queima corações e pensamentos.

                    Luís de Camões
		(Tiago Vieira nº20)
publicado por 10csb às 14:13
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

.posts recentes

. Ser Poeta

. A AIA

. O SUAVE MILAGRE

. Amor de Perdição

. PEREGRINAÇÃO

. Sonho

. Invocação à Noite

. Olhando o mar, sonho sem ...

. Mar Português

. O Fogo que na branda cera...

.arquivos

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds